NEWS

3 DICAS PARA ATRAIR NOVOS MEMBROS ASSOCIADOS

A diversidade reflete na pluralidade exigida pelas novas gerações

Em termos de inclusão e diversidade, onde sua associação se encontra? Fortalecer o senso de comunidade é essencial para a reputação de sua entidade. Além da imagem externa, os pilares da pluralidade ampliam perspectivas e aumentam o alcance de sua organização diante de públicos, necessidades e realidades diferentes. Mais do que a busca por novos membros, a representatividade é parcela vital das novas exigências sociais.

Associações não desejam endossar discursos discriminatórios. Ainda assim, é necessário estar atento ao discurso propagado nas entrelinhas. Algumas interpretações podem afastar possíveis novos associados e manchar uma reputação consolidada há tempos. Duas considerações são importantes neste ponto: a atualização de diretrizes e a ampliação do público-alvo.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 51% da população brasileira é composta por mulheres. Cerca de 54% dos brasileiros se declaram negros e aproximadamente 6,2% da população possui alguma deficiência física.

Como a sua associação alcança essas pessoas? Como você conversa com as novas gerações sedentas por equidade? A diversidade pode ser uma aliada neste quesito.

Quais ações podem ajudar neste cenário?

1 – Fortalecer o senso de comunidade
Dois dos conceitos mais valorizados pelos millennials são a inclusão e a digitalização. Com a significante parcela de profissionais desta geração tomando o mercado de trabalho e contagiando outras gerações, é preciso preparar o ambiente para cada vez mais alcançar relevância.

Neste quesito, a inclusão pode ter mais de um significado: tanto na forma de representatividade social, quanto na inclusão digital. Para fortalecer o senso de comunidade, apostar na tecnologia é uma forma de facilitar o contato entre sua entidade e esta nova geração.

Muito além das mídias sociais, o impacto agora requer marcar presença através de aplicativos, webinars, cursos online e muitas formas que inspirem, informem e eduquem. Aplicativos, por exemplo abrem a oportunidade para criar um ciclo mais fechado de conexão direta com o público, consolidando assim uma comunidade.

2- Marketing harmonizado com valores
Para potencializar o alcance do marketing é preciso sair da caixinha e diminuir o uso das mesmas comunicações para conversar com diferentes públicos. Os conceitos de marketing exigem a criação de diferentes personas para entender como alcança-las nas divulgações e ações de sua entidade.

Ainda que os benefícios sejam os mesmos para cada público, há diversas formas de dialogar. Se sua organização deseja alcançar jovens profissionais recém-formados, por exemplo, você pode abordar suas necessidades de networking, mentoria, experiência, voluntariado, certificações, oportunidades de trabalho e etc.

Os associados já filiados podem não ter o mesmo interesse nestas oportunidades. Logo, é preciso criar ações paralelas para estas personas (diferentes tipos de perfis de consumo e de comportamento de pessoas). Por exemplo, clubes de vantagens, ações de reconhecimento e de fidelizações contínuas.

3- Diversidade no quadro de funcionários
A representatividade interna é refletida de muitas maneiras na reputação da entidade. Além da pluralidade de pontos de vista, a integração entre pessoas de diferentes etnias, gêneros, sexualidade, origens e habilidades motoras pode potencializar a sua produtividade. Aprendizado, combate a preconceitos e inclusão se tornam conceitos automaticamente demonstrados em ações voltadas a novos e antigos associados.

A distribuição de oportunidades e de renda também gera uma visibilidade positiva que impacta em campanhas internas e externas. Entretanto, é preciso estar atento: para apostar na diversidade é necessário oferecer um ambiente preparado e acolhedor. De acordo com o IPEA – Pesquisa Ação Social das Empresas:

“Para implementar um programa de diversidade, é fundamental que exista o comprometimento da alta direção da empresa. O primeiro passo é a formação de um comitê interno, que será o responsável por envolver todos os níveis da organização com essa política.

Em seguida, deve-se determinar um diagnóstico a respeito da diversidade na organização, para o correto delineamento das metas a curto, médio e longo prazo.

Por fim, deve-se proceder a avaliação dos resultados. Nesse contexto, é importante que a empresa invista em treinamento e capacitação, com o objetivo de sensibilizar e motivar seus colaboradores para a valorização da diversidade e, também, trabalhe a comunicação interna no sentido de informar seu público que a organização precisa e depende da diversidade para melhorar e perenizar seu negócio”.

Prepare o seu ambiente associativo, converse com as diversidades e aposte na inclusão (digital e social). Este pode ser um caminho de média duração, mas muito efetivo para impactar novos associados e fideliza-los.