Os líderes do conselho de administração devem manter o ritmo com a mudança

Um novo relatório da Associação Nacional de Diretores Corporativos dos EUA destaca a importância de conselhos serem transparentes, responsáveis, envolvidos e capazes de acompanhar um ambiente operacional em rápida mudança.


Os líderes do conselho podem promover grandes mudanças em suas organizações, desde que estejam dispostos a assumir esse papel. Essa é uma das principais conclusões de um novo estudo da Associação Nacional de Diretores Corporativos (NACD), cuja iniciativa da Comissão Blue Ribbondefende que presidentes de conselho e pessoas em funções semelhantes podem ser agentes da mudança altamente eficazes que ajudam suas organizações a aproveitarem oportunidades de crescimento.

De fato, de acordo com o Fit for the Future: um imperativo urgente para a liderança do conselho, é essencial que eles o façam.

“O ritmo acelerado e a intensificação da complexidade das mudanças estão levando ao surgimento de uma realidade operacional fundamentalmente diferente da que os executivos e diretores em exercício vivenciaram em suas carreiras até o momento”, escrevem os presidentes da Comissão Blue Ribbon Cari Dominguez e Lester Lyles no relatório. “No entanto, essa quantidade estonteante de mudanças também cria imensas oportunidades para as empresas superarem a concorrência, gerar valor de novas maneiras e fortalecer sua governança”.

As recomendações da comissão para uma liderança mais eficaz e motivadora de mudanças incluem:

Maior envolvimento proativo do conselho

Cerca de 88% dos membros do conselho pesquisados ​​disseram que esperam se envolver mais profundamente com a gestão organizacional no futuro. A comissão afirma que a abordagem é mais fácil de dizer do que realizar, pois pode facilmente levar ao microgerenciamento. “Por todas essas razões, mudar a forma como o conselho se envolve exige liderança forte e constante, e em particular um relacionamento construtivo entre o presidente ou o diretor principal e o CEO”, observa o relatório.

Uma mudança no foco estratégico

A inovação é cada vez mais importante, e os conselhos precisam estar prontos para liderar a adaptação de uma organizaçãoa um cenário em mudança – mas devem fazê-lo com cuidado, afirma o relatório: “O aspecto mais importante aqui é garantir o equilíbrio certo entre a experiência em questões emergentes e a experiência relevante passada.”

Repensar as reuniões

Embora a maioria dos conselhos se reúna de seis a oito vezes por ano, a comissão sugere “um modelo operacional mais fluido e flexível“, no qual os membros do conselho se envolvem com mais frequência com o CEO. Um dos principais desafios é manter um equilíbrio entre reuniões ativas e sobrecarga.

Mais transparência

Controvérsias de alto nível na era das mídias sociais incentivaram o aumento da “hipertransparência”, e os conselhos devem estar preparados para que informações eventualmente vazem para o público. “Eles precisam estar cientes de que a opinião pública é um alvo em movimento, e que aqueles que não ficarem à frente podem ser acusados ​​de serem míopes ou, pior ainda, desonestos”, afirma o relatório.

Mais responsabilidade para todos

Quase metade dos membros do conselho não acredita que os líderes tomem medidas suficientes para remover diretores não qualificados. A comissão pede maior responsabilidade, com “efeitos de longo ou prazo sobre o objetivo, mandato e modelo operacional dos conselhos”.

“O líder do conselho desempenha um papel fundamental na catalisação das mudanças necessárias para que os conselhos liderem nestes tempos sem precedentes”, disse Peter Gleason, CEO da NACD, em um comunicado à imprensa.

O relatório inclui um kit de ferramentas abrangente com soluções para ajudar as organizações a resolver esses problemas.

Faça o download aqui. [conteúdo em inglês]. 

Adaptado do conteúdo original ASAE – American Society of Association Executives