Crie Conexões dos Participantes com a Arte

Participantes costumam ir a conferências para fazer contatos e associações podem ajudar a criar conexões ainda mais profundas com a arte


Samantha Whitehorne, diretora editorial da Associations Now, conta sua experiência escrevendo sobre uma exposição de arte que a International Ombudsman Association (IOA) organizou em sua conferência anual.

A ideia veio de uma ex-membro do conselho que havia participado do Burning Man, um evento que celebra arte e comunidade, e foi inspirado na quantidade de maneiras diferentes que existem para expressar e experimentar as perspectivas um do outro.

Sabendo que as pessoas frequentemente participavam da conferência anual da IOA para se conectar a experiências compartilhadas e que os ombuds precisam ser criativos ao trabalhar com pessoas e conflitos, surgiu o questionamento sobre como seria colocar essa criatividade em forma física.

Com isso em mente, antes de sua reunião anual, a IOA solicitou aos participantes que pensassem em um sentimento ou experiência relacionada ao seu trabalho e que o expressassem em um meio de sua escolha, seja fotografia, escultura, pintura, música ou qualquer outra coisa. Eles poderiam então enviar sua peça, juntamente com uma breve descrição, ao IOA.

O resultado foi o Experience on Display, uma exibição de arte na reunião. Foi oferecida uma sessão especial de duas horas, na qual os participantes puderam interagir com os artistas e se conectar com suas experiências compartilhadas.

O IOA não é a única associação que ajuda os participantes da conferência a se expressarem com arte e a usarem como uma maneira de se conectar com outras pessoas.

Sabendo que o esgotamento e estresse está aumentando entre os profissionais de saúde e desejando que seus participantes pensem sobre bem-estar e resiliência de maneira mais proativa, a Sociedade Americana de Hematologia (ASH) fez duas coisas em sua reunião anual. Primeiro, apresentou uma exposição de arte chamada “Expressões de bem-estar clínico”, com obras de arte com temas de resiliência, criadas por médicos e com curadoria da Academia Nacional de Medicina.

Mas, para expandir o escopo da exposição, a ASH combinou-a com uma oportunidade para os participantes se envolverem. Os participantes foram convidados a compartilhar seus pensamentos sobre “O que mantém seu coração na medicina?” E gravadores gráficos estavam disponíveis para ajudá-los a traduzir seus pensamentos em imagens ilustradas.

Isso permitiu que os participantes aprendessem o que outros membros da comunidade estão fazendo para cuidar de si mesmos, mantendo-se fiéis à sua paixão médica.

Outra referência é a Associação Internacional para o Estudo dos Sonhos (do inglês: Association for the Study of Dreams – IASD), que também organizou uma exposição de arte em sua conferência em junho.

De acordo com o site da IASD, “todo o trabalho foi inspirado de alguma maneira por experiências visionárias ou emocionais que ocorreram durante o sono ou por inspirações relacionadas a sonhos”. A exposição incluía fotografia, pintura, desenho, colagem, escultura, cerâmica, vídeo e instalações de arte.

Em uma recepção, os artistas compartilharam e explicaram seus trabalhos a qualquer participante da conferência que tivesse perguntas, se interessasse por peças específicas ou desejasse entender o processo de um artista.

O que Samantha mais gosta desses exemplos é que eles permitiram que as pessoas em seus respectivos setores mostrassem talento e criatividade que talvez não expressassem em seus trabalhos diários. E, ao mesmo tempo, essas exposições ofereceram maneiras fáceis para os participantes se conectarem. Sua associação usou arte no local em uma conferência ou evento? Conte-nos.

Adaptado do conteúdo original ASAE – American Society of Association Executives